domingo, 25 de junho de 2017

Há 50 anos,os Beatles participavam da 1ª transmissão mundial ao vivo de TV


Com força aparentemente imparável durante o verão de 1967, em 18 de Maio, os Beatles assinaram um contrato para representar a BBC, e Grã-Bretanha, no programa Our World,que foi o primeiro programa de televisão ao vivo via satélite para todo mundo que foi assistido por aproximadamente entre 350-400 milhões de pessoas nos cinco continentes .
A participação dos Beatles foi anunciada quatro dias depois, em 22 de Maio. John Lennon escreveu a canção All You Need is Love especialmente para a ocasião, pois a BBC disse que tinha de ser simples para que os telespectadores de todo o mundo fossem entender.
Our World  aconteceu em 25 de junho de 1967. Entre o anúncio e a data de transmissão, os Beatles gravaram a faixa básica e alguns backing vocals.
A transmisão via satélite foi idealizada pela BBC, que teve a idéia da  European Broadcasting Union, em 1966. O projeto foi feito pelo executivo da BBC Aubrey Singer e teve como personalidades, incluindo Maria Callas e Pablo Picasso, de 19 nações realizados em itens separados de seus respectivos países. O evento, que durou duas horas e meia, teve a maior audiência de televisão até à data. 
Não houve políticos ou chefes de estado autorizados a participar na transmissão, e nenhum vídeo pré-gravado ou filme foi permitido. Cerca de 10.000 técnicos, produtores e tradutores ajudaram a fazer o evento,cada país tinha os seus próprios locutores, com tradutores narrando sempre que foi necessário.
Empresas nacionais de radiodifusão de 14 países forneceram material para o programa de 125 minutos, que foi exibido em preto-e-branco. As organizações envolvidas foram: Austrália (ABC), Áustria (ORF), Canadá (CBC), Dinamarca (DZR), França (ORTF), Itália (RAI), Japan (NHK), Mexico (TS Mexicana), Espanha (TVE), Suécia (SRT), Tunísia (RTT), Reino Unido (BBC), EUA (NET) and Alemanha Ocidental (ARD) e o programa também foi mostrado - sem contribuir seu próprio conteúdo - na Bélgica, Bulgária, Finlândia, Irlanda, Luxemburgo, Mônaco, Holanda, Noruega, Portugal e Suíça. 
Os Beatles na cantina do  estúdio antes da transmissão
Na semana antes da transmissão, sete países do bloco oriental - liderados pela União Soviética - puxado para fora, aparentemente em protesto contra as nações ocidentais como uma resposta à Guerra dos Seis Dias.
Ringo e Paul fora do estúdio Abbey Road perto da van
Os Beatles começaram às 14:00 com um ensaio da câmera no estúdio 1 da EMI.Uma van estava situada no parque de estacionamento do estúdio,que transmitiu o sinal ao redor do mundo através dos satélites Intelsat I (Early Bird), Intelsat II (Lana Bird) e ATS-1. 
John e Paul fora do estúdio Abbey Road perto da van
Para a apresentação ao vivo, que aconteceu às 21:36,os Beatles tocaram ao longo de sua faixa básica pré-gravada.Os vocais,baixo,solo de guitarra, bateria e 13 peças de orquestra foram ao vivo. Para reduzir as chances de erros durante a transmissão ao vivo, o evento foi cuidadosamente organizado, embora o cuidado foi tomado para fazer parecer espontâneo.
Steve Race
A sequência começou com o repórter ao vivo Steve Race apresentando o grupo como a música de fundo tocada. O diretor Derek Burrell-Davis, em seguida, cortou para a sala de controle do estúdio, de onde George Martin anunciou que a orquestra devesse ser trazida para dentro 
Os Beatles, então, tocaram All You Need Is Love,as pessoas sentadas - para além de Ringo Starr em bancos altos, e rodeados por vários amigos, incluindo Mick Jagger, Keith Richard, Marianne Faithfull, Keith Moon, Eric Clapton, Pattie Harrison, Jane Asher,Graham Nash e Hunter Davies. Todos estavam vestidos com roupas coloridas, e foram cercados por flores, balões e cartazes.  
Os músicos eram: Sidney Sax, Patrick Halling, Eric Bowie e Jack Holmes  (violino); Rex Morris and Don Honeywill (saxofone tenor), Evan Watkins and Harry Spain (trombone); Jack Emblow (acordeon) e Stanley Woods e David Mason (trompete). Stanley Woods também tocou flugelhorn na gravação. 
Após a transmissão terminada e os convidados de estúdio sairam, John Lennon regravou algumas de suas partes vocais. A sessão terminou às 1:00 da manhã seguinte. 
All You Need Is Love foi mixada em 26 de junho de 1967, depois de Ringo Starr que tinha acrescentado um rufar de tambores para a introdução. O single foi lançado em 7 de Julho com Baby You're A Rich como lado B do single.
Apesar da transmissão ter sido em preto e branco,foi colorizada para o projeto The Beatles Anthology de 1995.

Colaboração : Eric Bourgouin o correspondente na estrada do Canadá

Entrevista com Paul McCartney na TV Australiana nesse domingo

Após o anúncio desta semana de uma turnê australiana - sua primeira em quase 25 anos - a lenda do rock and roll, Paul McCartney, senta-se para uma entrevista exclusiva para o 60 Minutes com a repórter Liz Hayes.
E que história ele tem para contar. McCartney vendeu 700 milhões de álbuns em sua vida e ganhou inúmeros prêmios - incluindo 21 Grammys. Ao fazê-lo, ele também provou ser um empresário astuto - o valor dele é estimado em mais de um bilhão de dólares.
E, claro, como ele conta a 60 Minutes, tudo começou com os Beatles.
"A soma de nós quatro fez algo especial. Estávamos elevados além de nós mesmos. E assim fizemos alguns momentos muito especiais. "
Não só McCartney está comemorando seu aniversário de 75 anos este ano, mas também o 50º aniversário do lançamento do álbum Sgt Pepper's Lonely Hearts Club Band - uma obra-prima musical que muitos consideram o maior álbum de rock e roll já feito.

"Foi a prova do tempo", ele conta para Hayes. "Quando você o escuta agora, estou impressionado. E eu não deveria está. "
Em sua sinceridade,McCartney também olha para trás suas melhores lembranças com os Beatles, e a dor que o viu se recusar a tocar suas músicas há anos.
Ele abre a atenção incrivelmente invasiva da mídia que recebeu durante sua carreira - e, em particular, o foco em sua vida privada.
McCartney foi casado três vezes e tem cinco filhos. Por quase 30 anos, o amor de sua vida foi Linda, que morreu de câncer de mama em 1998. Vários anos depois, ele se casou com modelo Heather Mills, mas essa relação acabou acrimoniosamente.
Seis anos atrás, ele se casou com a empresária americana Nancy Shevell.
McCartney tem uma carreira incrível, uma vida de contribuição musical que foi reconhecida não só por suas legiões de fãs, mas com uma cavalgadura. Ele fala sobre todos os altos e baixos neste domingo.
"Eu me belisco. Regularmente. E eu gosto do fato de eu me beliscar, porque eu não quero aceitar isso
"A Day in the Life" será neste domingo no programa 60 Minutes, às 21h30 no canal 9. na Tv australiana.

Colaboração: Beatle Ed o correspondente 24 horas do Canadá

fonte: 9 Honey News

sexta-feira, 23 de junho de 2017

Paul McCartney fala sobre processo de criação de Kanye West

Paul McCartney falou um pouco sobre o processo de criação quando trabalhou com Kanye West durante uma live no Facebook, de acordo com publicação da NME desta quinta-feira (22).
A princípio, Paul disse que ficou nervoso quando concordou em trabalhar com o rapper, pois teve receio que o trabalho ficasse horrível, mas admitiu que ficou intrigado.
“E foi um processo muito intrigante”, declarou Paul. “Você basicamente não escreve as músicas. Você basicamente conversa, rabisca um pouco e grava tudo no seu celular. E então, ele vai embora. Esse é basicamente o álbum dele. Mas foi ótimo, porque eu não trabalho assim”, finalizou.
“FourFiveSeconds” foi fruto dessa reunião, e ainda teve a colaboração de Rihanna, mas McCartney só ouviu a faixa três meses após esse processo e já estava quase ligando para o rapper para saber o que estava acontecendo quando recebeu uma cópia, adorou e ficou em dúvida se estava no trabalho. Paul e Kanye também trabalharam juntos nas faixas “Only One” e “All Day”
“Eu liguei e perguntei ‘eu estou nisso?’ e ele [Kanye] disse ‘ah sim, você o guitarrista’. E eu falei ‘eu não lembro’. E ele ‘a gente acelerou um pouco'”, explicou Paul.
O britânico ainda comparou a forma de trabalhar de West com o álbum “Sgt Pepper’s Lonely Hearts Club Band”, quando os Beatles fizeram muitas experimentações e disse que se a banda ainda existisse, eles provavelmente trabalhariam da mesma forma.

Colaboração: Beatle Ed o correspondente 24 horas do Canadá

quinta-feira, 22 de junho de 2017

Paul McCartney confirma uma turnê pela Austrália e Nova Zelândia

Em uma transmissão ao vivo via Facebook,Paul McCartney confirmou uma turnê pela Austrália e Nova Zelândia depois de 24 anos.
Foram confirmadas as datas:
-02 de dezembro no NIB Stadium em Perth
-05 de dezembro no A AMI Park em Melbourne
-09 de dezembro no Suncorp Stadium em Brisbane
-11 de dezembro no Quidos Arena em Sydney
e uma única data na Nova Zelândia:
-16 de dezembro no MT Smart Stadium em Auckland

Durante a transmissão apresentada por Tim Minchin,Paul falou do motivo de ter cancelado os shows em 2002,depois dos ataques de Bali.""Isso foi muito triste. Estávamos ansiosos para isso ", disse Paul.'(Nós estávamos) todos prontos para ir, então havia a notícia da bomba em Bali. Nós pensamos que não seria animador ", continuou o músico.
Paul estava se referindo ao ataque terrorista em outubro de 2002, que viu 202 mortos e outros 209 Na época, ele afirmou que o país precisava de tempo para se recuperar em um comunicado oficial.
"Este não é o momento apropriado para um show de rock", disse ele, expressando suas mais profunda simpatia.
Paul lembrou de quando os Beatles estiveram por lá em 1964 "Quando estávamos em Melbourne, estávamos hospedados em um hotel chamado Southern Cross, estávamos em uma varanda vendo milhares de pessoas, foi incrível, nunca tínhamos visto tantas pessoas vieram nos ver", disse McCartney. "Uma menina escalou o exterior do Southern Cross Hotel. Você pode imaginar isso? Ela era uma boa montanhista! "
Os ingressos para a turnê One On One estarão a venda no dia 4 de julho, com pré-venda disponível no dia 29 de junho.Os ingressos para os shows australianos de McCartney irão variar entre 70 dólares e cerca de US $ 400.

quarta-feira, 21 de junho de 2017

Como os Beatles transmitiram amor para o mundo


Em 25 de junho de 1967, os Beatles estrelaram a primeira transmissão de TV global ao vivo.
Em um show com figuras-chave da arte e da música de todo o mundo, os Beatles foram escolhidos pela BBC para representar a Grã-Bretanha.
A banda tocou uma nova música chamada All You Need Is Love, que captur ou o espírito anti-guerra dos anos 60. Mike McCartney, o irmão de Paul McCartney, estava na platéia.

fonte: BBC

Paul McCartney anunciará a turnê pela Austrália ao vivo no Facebook

Paul McCartney anunciará sua primeira turnê pela Austrália e Nova Zelândia em 24 anos via Facebook às 19h30, hora de amanhã (quarta-feira).
O veterano cantor e compositor, que comemorou seu aniversário de 75 anos no domingo, revelará as datas da turnê em uma entrevista transmitida no Facebook com a estrela australiana Tim Minchin e também responderá às perguntas dos fãs durante o segmento do Facebook Live. 
Os fãs só precisam visitar facebook.com/paulmccartney ou usar a hashtag #oneonone para enviar suas perguntas no horário especificado, onde uma seleção será respondida por McCartney ao vivo.
A turnê é promovida pela Frontier Touring de Michael Gudinski.

Paul McCartney confirma show na Colômbia

Paul McCartney confirmou em seu site oficial o show que fará dia 24 de outubro na Colômbia no Estádio Atanasio Girardot, em Medellín.
Ele também se apresentará dia 13 de outubro em Porto Alegre,dia 15 de outubro em São Paulo, dia 17 de outubro em Belo Horizonte,20 de outubro em Salvador na Bahia.
"A última vez que tocamos na Colômbia foi uma explosão e sempre quis voltar. Estou muito animado para chegar lá com o meu novo show este ano. Eu não posso esperar para ver todos vocês e teremos uma festa de rock", McCartney disse através de um comunicado.
Os ingressos estaram em pré-venda a partir de Terça-feira 27 de Junho até 29 de Março.
Preços:
VIP $1.500.000 + $232.000
Platino $900.000 + $139.000
Oro $700.000 + $108.000
Occidental $470.000 + $73.000
Oriental $470.000 + $73.000
Norte $220.000 + $34.000
Cancha general $170.000 + $26.000

Colaboração: Beatle Ed o correspondente 24 horas do Canadá

terça-feira, 20 de junho de 2017

Música inédita de George Harrison é encontrada em piano na Inglaterra

Olivia Harrison, 69 anos, confirmou ao site britânico iNews que encontrou o rascunho de uma música inédita de George Harrison, ex-guitarrista dos Beatles, morto em 2001. Intocável por décadas, a música estava em um assento de piano em sua casa, em Oxfordshire, Inglaterra.
Intitulada Hey, Ringo, a música foi composta para Ringo Starr, baterista dos Beatles e amigo de Harrison. Na letra, o músico descreve que a guitarra dele é incompleta sem a batida de seu amigo. "Hey, Ringo, agora eu quero que você saiba que sem você minha guitarra toca muito lentamente", diz um dos trechos. 
A viúva do artista suspeita que a composição seja de 1970, período em que a banda havia se separado. Ela revelou também que era comum Harrison esquecer anotações por todos os lugares, e que não ficou surpresa em achar o papel no assento do piano. Olivia também acredita na possibilidade de o marido ter gravado a música em uma fita cassete caseira na época.
A composição está prevista para ser reproduzida na edição estendida da biografia ilustrada de George Harrison, I me mine, que apresenta fotografias de família, manuscritos e entrevistas não-publicadas. 
Após ter encontrado a relíquia, Olivia apresentou a composição para Ringo Starr na comemoração em homenagem aos 74 anos de Harrison, em fevereiro deste ano, em Los Angeles. "Ele nunca viu esta música. Ele disse: 'O que é isto?'. Ficou muito surpreso", disse Olivia.
A expectativa é que Starr transforme as anotações em melodia. 

domingo, 18 de junho de 2017

****** HAPPY BIRTHDAY PAUL MCCARTNEY ******

O álbum Sgt.Pepper's Lonely Hearts Club Band completa 50 anos - Recepção e Legado

Recepção
Após o lançamento,Sgt Pepper recebeu tanta aclamação popular e crítica que o álbum foi um sucesso mundial, com vendas enormes na Europa, América do Norte e do Sul, África, Japão, Austrália, e até mesmo no mercado negro na União Soviética, onde os Beatles foram muito populares e amplamente disponíveis.Vários comentários que apareceram na grande imprensa e publicações comerciais ao longo de Junho de 1967, imediatamente após o lançamento do álbum, foram geralmente positivas. No The Times, proeminente crítico Kenneth Tynan descreveu o Sgt Pepper como "um momento decisivo na história da civilização ocidental".Richard Poirier escreveu "ouvir o Sgt Pepper se pensa não apenas da história da música popular, mas a história deste século".
Um crítico notável, que não gostou do álbum na época de seu lançamento foi Richard Goldstein, um crítico do The New York Times, que escreveu: "Como uma criança com mais concorridos, o Sgt Pepper está estragado. Ele cheira a chifres e harpas, quartetos de gaita, barulhos de animais variados, e uma orquestra de 41 peças ", e acrescentou que era um" álbum de efeitos especiais, mas no final deslumbrante fraudulento ".Por outro lado, Goldstein chamou "A Day In The Life" como uma excursãomortal sério na música emotiva com uma letra arrepiante", e que "se destaca como uma das mais importantes composições de Lennon-McCartney, e é um evento histórico Pop". Após ter recebido uma reação negativa para esta revisão, um mês depois, ele explicou mais sobre o seu ponto de vista, escrevendo "Além de um corte que eu detesto (" Good Morning, Good Morning"), acho que o álbum melhor do que 80 por cento da música em torno de hoje; é o outro 20 por cento (incluindo o melhor do desempenho dos Beatles no passado) que me preocupa como um crítico. "Ele também chamou de um "entre experiência, um chique ..." e "Quando os slicks e truques de produção neste álbum não parece incomum, e as composições são retirados de seus fundamentos musicais e líricas, Sgt Pepper será um Beatles barroco, uma elaboração sem melhora ..."
Frank Zappa acusou os Beatles de captar a estética flower power para ganho monetário, dizendo em um artigo da Rolling Stone que ele sentiu "eram apenas para ganhar dinheiro". Essa crítica mais tarde se tornou o título do álbum  do the Mothers of Invention (We're Only in It for the Money), que zombou o Sgt. Pepper com uma capa semelhante.
Em abril de 1967, Brian Wilson (que estava sofrendo crescentes problemas mentais) foi profundamente afetado por ouvir uma fita da canção "A Day in the Life", que McCartney tocou para ele em Los Angeles. Logo depois, o álbum Smile foi abandonado, e Wilson não voltaria para concluí-lo até 2003. Van Dyke Parks disse mais tarde ", Brian teve um colapso nervoso. O que quebrou seu coração foi o Sgt. Pepper."
Poucos dias depois de seu lançamento, Jimi Hendrix estava fazendo a trilha do título, em concerto, primeiro para uma platéia que incluía Harrison e McCartney, que ficaram muito impressionados com sua versão exclusiva de seu canto e sua capacidade de aprender tão rapidamente.
O desempenho gráfico do álbum foi igualmente excepcional.No Reino Unido, estreou no número oito e na semana seguinte alcançou o número um, onde permaneceu por 23 semanas consecutivas. Em seguida, ele foi derrubado do topo por The Sound of Music na semana que terminou em 18 de novembro de 1967. Eventualmente, ele passou mais semanas no topo, incluindo a semana do Nata.Quando a edição em CD foi lançado em 1 de Junho de 1987, alcançou o número 3. Em junho de 1992, o CD foi novamente promovido para comemorar o seu 25 º aniversário, e alcançou o número seis. Em 2007, comemorando 40 anos de seu lançamento, o Sgt Pepper mais uma vez re-entrou nas paradas de número 47 no Reino Unido. Ao todo, o álbum passou um total de 201 semanas nas paradas do Reino Unido, e é o álbum mais vendido no Reino Unido segundo o gráfico.O Sgt Pepper ganhou o Grammy de Álbum do Ano, o primeiro álbum de rock a fazê-lo, e Melhor Álbum Contemporâneo em 1968.Nos EUA o álbum vendeu 11 milhões de unidades, com vendas de cerca de 32 milhões em todo o mundo.O álbum ganhou Melhor Álbum Britânico no primeiro Brit Awards, em 1977.
Legado 
Sgt Pepper tem sido em muitas listas dos melhores álbuns de rock, incluindo Rolling Stone, Bill Shapiro,  Alternative Melbourne, Rod Underhill e VH1. Em 1987,a Rolling Stone nomeou o Sgt Pepper o melhor álbum dos últimos vinte anos (1967-1987). Em 1997 o Sgt Pepper foi nomeado o maior álbum de todos os tempos num "Music of the Millennium" em uma sondagem realizada pela HMV, Channel 4, The Guardian e FM Classic. Em 1998,os leitores da revista Q colocou no número sete, enquanto em 2003 a rede de TV VH1 colocou no número 10.Em 2003, o álbum ficou em número 1 da revista Rolling lStone da lista dos 500 maiores álbuns de todos os tempos.Em 2006, o álbum foi escolhido pela revista Time como um dos 100 melhores álbuns de todos os tempos.Em 2002, a revista Q colocou no número 13 na sua lista dos 100 melhores álbuns britânicos.O álbum foi nomeado pela Classic Rock Magazine como um dos 50 álbuns que construíram Rook Progressivo".Em 2003, foi uma das 50 gravações escolhidas pela Biblioteca do Congresso para ser adicionada ao Registro de gravação Nacional.

Comentário:
Resumindo,depois de 50 anos o Sgt Pepper aparece entre os 5 mais vendidos desse ano.

fonte: Wikipedia

sábado, 17 de junho de 2017

John Lennon omitiu a contribuição de Yoko em Imagine por machismo


Yoko Ono merecidamente recebeu os créditos na música Imagine composta com John Lennon em 1971 depois de 46 anos em uma cerimônia dia 15 de junho junto com seu filho Sean e Patti Smith.
Em uma reportagem do programa Good Morning America do canal ABC da tv americana exibiu um audio de uma entrevista de 06 de dezembro de 1980 para a rádio BBC,onde John Lennon reconheceu o seu erro por puro machismo:
"Na verdade, deve ser creditado como um Lennon-Ono porque muito disso
A letra e o conceito vieram de Yoko
Mas naqueles dias eu era um pouco mais machista
E foi uma espécie de omissão em mencionar sua contribuição"

O álbum Sgt.Pepper's Lonely Hearts Club Band completa 50 anos - A Day in the Life

"A Day in the Life" (algo como 'Um Dia na Vida') é uma canção dos Beatles creditada à dupla Lennon-McCartney. Foi lançada no álbum Sgt. Pepper's Lonely Hearts Club Band de 1967. A gravação teve início em 19 de janeiro de 1967, e concluída em 22 de fevereiro de 1967. Há uma parte adicional com sons difusos e estranhos, que não foi incluída no lançamento do álbum no Brasil. Somando esta parte, a música dura 5'33". Na verdade, quando escutamos essa música em vinil, os sons estranhos no final da música tornam-se uma espécie de moto-perpétuo, caracterizando assim uma música teoricamente sem fim. Os sons repetem-se em intervalos 2 segundos, e assim permanece até que retiremos o vinil do toca-discos. Com o CD, o material editado tem 5´33", aproximadamente.
A criação
Esta música foi o resultado da junção de duas músicas distintas: uma composta por John Lennon e a outra por Paul McCartney.
John tinha o início e o fim da música, mas não tinha o miolo dela. Achava que tinha de por algo entre as partes que tinha composto. Por isso, gravou a primeira parte; marcou o meio dela com uma contagem de 1 (um) a 24 compassos, feita por Mal Evans; e em seguida gravou a parte final. A indicação do final da contagem era marcada, para fins de orientação, pelo toque de um despertador.
Paul possuia uma canção que não tinha início e nem fim. Apresentou ao grupo que resolveu inseri-la entre as partes já gravadas por John. O resultado final agradou a John Lennon e a Paul McCartney. Por coincidência, a frase da parte de Paul iniciava com: "Woke up, fell out of bed…" (acordei, caí da cama…), e começava exatamente no ponto antecedido pela marcação do toque do despertador. Por este motivo, o som do despertador foi mantido na gravação, já que Paul, pela canção, estava despertando.
A gravação
A gravação teve início no dia 19 de janeiro de 1967, quando foram gravadas 4 takes, só com a parte do John. No dia seguinte, o take 4 foi trabalhada e transformada nos takes 5, 6 e 7, já com a parte de Paul inserida, sendo o take 6 considerado o melhor. No dia 3 de fevereiro a parte de Paul foi refeita e Ringo Starr gravou a sua batida antológica de tom-toms.
A parte orquestral da canção foi gravada no dia 10 de fevereiro. A orquestra era composta de 40 músicos, um gasto extravagante para o pouco que ela tocaria. Paul McCartney foi quem teve a idéia de utilizar uma orquestra; e embora na realidade quissesse 90 músicos, foi convencido por George Martin que 40 seriam suficientes para o efeito que desejava. George Martin e Paul pediram aos músicos que tocassem, partindo de uma nota pré-estabelecida (Mi maior), indo até a nota mais aguda que seus instrumentos pudessem alcançar, em intensidade cada vez maior, até preencher os 24 compassos entre a parte de John e a parte de Paul. Os músicos no início não entenderam direito o que era para ser feito, mas com mais explicações entraram no clima da gravação. O resultado final foram 33 segundos de acordes de uma orquestra de 40 instrumentos tocados em crescendo. Depois, a gravação foi quadruplicada através de "overdub", criando um efeito semelhante a 160 músicos executando seus instrumentos. Estes acordes foram utilizados duas vezes na música: entre a primeira parte de John e a parte de Paul, e após a segunda parte de John, culminando no temeroso fim da música, que é composto de um acorde tocado simultaneamente por três pianos e um harmônio, que se esvai lentamente. O acorde é sustentado por incríveis 45 segundos.

Para finalizar a parte instrumental e musical, no dia 22 de fevereiro foi gravado um tom de Mi maior, tocado simultaneamente por Mal Evans, John Lennon, Paul McCartney, e Ringo Starr em três pianos diferentes, que foi triplicada através de "overdub", criando um efeito de apoteose.
Após o final apoteótico produzido pelo Mi maior executado pelos três pianos e de um pequeno intervalo (em que na versão inglesa, John Lennon inseriu um tom tocado por um apito para cachorros, só audível por estes), ouve-se sons difusos, sem nexos, que encerram a faixa e o álbum. Esta última parte da gravação foi realizada durante a recepção que foi oferecida pelos Beatles no dia da gravação da orquestra, 10 de fevereiro, para amigos e convidados especiais (Mick Jagger, Marianne Faithfull, Keith Richards, Donovan, Pattie Boyd e Michael Nesmith, entre outros). É a gravação de sons dos convidados na festa, que foi reproduzida com a fita invertida e repetida várias vezes. Na época, cogitou-se haver "mensagens ocultas" neste trecho.
Na parte final da canção, as versões dos LPs lançados na Inglaterra, nos EUA e no resto do mundo (que seguia a versão americana) diferiam. A partir do lançamento do álbum em versão digital (CD), no ano de 1987, houve um unificação da edição, prevalecendo a versão inicial pensada pelos Beatles e lançada na edição britânica.

O CD Anthology 2 apresenta uma versão criada por George Martin especialmente para esta edição. Vários takes alternativos das gravações foram montadas, formando a mesma seqüência da música, mas com diversos takes. Aparece John dando as instruções iniciais no take 1; a marcação para o início do take 2 de John: "sugar plum fairy...., sugar plum fairy" (segundo a gíria londrina, "sugar plum fairy" era um traficante entregador de drogas, mas também pode ser uma referência a uma peça de Tchaikovsky); a marcação do intervalo através da contagem de Mal Evans e o toque do despertador. A parte de Paul é um take diferente do lançada na versão oficial.
No CD Love a música começa com a contagem "sugar plum fairy...., sugar plum fairy" e o som do despertador é mais acentuado. A parte dos sons difusos, gravados na festa e tocado ao contrário é omitida.

A inspiração
A inspiração para a letra de John Lennon é a sequência de acontecimentos que, segundo ele, havia lido recentemente no jornal londrino Daily Mail. O acidente fatal de carro inspirou-se no sofrido por Tara Browne, 25 anos, neto de Edward Cecil Guiness e herdeiro da famosa marca de cerveja Guinness. Os 4.000 buracos, em uma notícia da existência dessa quantidade de buracos nas ruas de Blackburn, Lancashire. Sobre o filme visto, a referência próxima era a participação de John no filme "How I Won the War", em que o exército britânico vence a guerra. Baseado nestes acontecimentos, ele criou um universo onírico, com jogos de palavras, bem ao seu estilo de compor. O verso "I'd love to turn you on" que finalizava ambas as partes da música atribuída a ele tinha conotação explícita com o uso de drogas: "Eu adoraria 'ligar' você". Naquela época, John Lennon estava no auge de suas experiências com o LSD.
A letra de Paul McCartney é mais pessoal. Refere-se a alguém que acorda, toma o café-da-manhã, sai atrasado para trabalhar, entra no ônibus e vai para a parte de cima (os ônibus britânicos têm dois andares). Então, fuma e entra em um sonho: "Found my way upstairs and had a smoke / Somebody spoke and I went into a dream" (Me encaminhei para o segundo andar e havia uma fumaça, alguém falou e então entrei em um sonho (transe)). Esta última parte da letra é uma referência explícita a uma "viagem" ocasionada pelo uso de droga, neste caso, a maconha.
Devido a estas referências serem explícitas ao uso de entorpecentes, esta canção foi banida das estações de rádio inglesas.

fonte: Wikipedia

Paul McCartney se torna Companheiro de Honra na Lista de Honras de Aniversário da Rainha

Paul McCartney encabeça uma série brilhante de figuras bem conhecidas para ser homenageado na Lista de Honras do Aniversário da Rainha. 
Vinte anos depois, ele foi nomeado pela Rainha, Sir Paul é atualizado com um Companheiro de Honra por serviços à música. 
Ele é o personagem mais conhecido de Merseyside do mundo das artes e do entretenimento para ser honrado.
Outros nomes internacionalmente famosos a serem incluídos são Billy Connolly, que recebeu um título de cavaleiro em um ano histórico que o verá atingir a idade de 75 anos. 
O comediante e ator escocês, carinhosamente conhecido como Big Yin, se torna um senhor em reconhecimento de seus serviços ao entretenimento e à caridade. 
A autora de Harry Potter, JK Rowling, que recebeu um OBE em 2001, se torna membro da Ordem dos Companheiros de Honra por seus serviços à literatura e filantropia.

Colaborações: Karl Valentine e Beatle Ed o correspondente 24 horas do Canadá

fonte: Liverpool Echo  

sexta-feira, 16 de junho de 2017

O "Sgt. Pepper" dos Beatles passa a segunda semana no Top 5

Os Beatles mais uma vez têm o melhor álbum nos EUA como um artista veterano com as versões de luxo do Sgt. Pepper's Lonely Hearts Club Band que caiu apenas de 3º para 4º lugar.
Roger Waters marcou seu maior álbum solo na parada nos EUA,com Is This the Life We Really Want? Abre no número 11.
As versões de luxo do The Joshua Tree da U2 não pontuam tão grande quanto os Beatles,baseado apenas nas vendas do álbum original.
E o Sgt Pepper's aparece em 2º lugar em vendas de vinil no Top 10 

O álbum Sgt.Pepper's Lonely Hearts Club Band completa 50 anos - Sgt.Pepper (Reprise)

"Sgt.Pepper Lonely Hearts Club Band (Reprise)" é uma repetição um pouco modificada da música de abertura em um ritmo mais rápido com uma instrumentação mais pesada.A faixa abre com contagem (retido na forma de "I Saw Her Standing There", a primeira canção em seu primeiro álbum) de McCartney.Entre 2 e 3, Lennon brinca dizendo "Bye" e Ringo começa a música tocando a parte da bateria acompanhada por quatro barras, no final um conjunto completo de duas guitarras distorcidas, baixo, bateria e percussão sobrepostas.Enquanto a trilha original tinha ficado em grande parte em Sol Maior (exceto para a modulação transiente para F e talvez C nas pontes), a reprise começa em F e possui um raro exemplo de saída de modulação dos Beatles, a G. As mixagens em mono e estéreo da música possui ligeiramente diferenças: o primeiro tem uma transição fracionada diferente da música anterior, e inclui o ruído da multidão e risos na abertura que estão ausentes da mixagem estéreo.
A idéia de uma reprise foi de Neil Aspinall, que pensou que como havia uma "canção de boas-vindas", devia haver uma "canção de adeus".A canção contém praticamente a mesma melodia que a versão de abertura, mas com diferente letras e omitindo o verso "It's wonderful to be here". Tem 1:18, é uma das canções dos Beatles mais curtas (o mais curto é "Her Majesty" com 00:23). A reprise foi gravada em 1 de Abril de 1967, dois meses após a versão que abre o álbum.No final da faixa,Martin segue com aplausos pré-gravados para a última faixa do álbum, "A Day In The Life".

fonte: Wikipedia

quinta-feira, 15 de junho de 2017

Após 46 anos, Yoko Ono será incluída como compositora de "Imagine"

Quarenta seis anos após o lançamento de "Imagine", Yoko Ono vai enfim receber os créditos pelo clássico composto pelo marido John Lennon e gravado em 1971. A informação foi publicada pela revista "Variety".
O anúncio aconteceu nesta quarta (14) em reunião da National Music Publishers Association, entidade que representa as editoras americanas. A homenagem contou com presença de Yoko e Sean Lennon, filho do casal. Ainda sofrendo de um tipo de gripe, a artista apareceu de cadeira de rodas.
Na cerimônia, foi exibido um vídeo de John Lennon gravado em 1980 no qual dizia que Yoko de fato merecia os créditos. Em seguida, a cantora Patti Smith apresentou a música acompanhada pela filha Jessie ao piano.
Segundo o presidente da associação, David Israelite, o crédito se deve à influência e inspiração de Yoko para "Imagine", que foi produzida por ela ao lado de Lennon e Phil Spector e lançada no álbum homônimo.

Comentário:
Merecida! Parabéns!

Colaboração: Claudia Tapety a fã nº 1 de Paul McCartney

fontes: UOL ou Variety

Bonecos TITANS dos Beatles pelos 50 anos do Sgt Pepper

Há 50 anos atrás, no dia 1 de junho de 1967, foi lançado um dos discos mais importantes da história do rock, o álbum Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band e a Titan Merchandise comemora a data com um set especial de figuras TITANS 4.5” dos Beatles.
O set The Beatles Sgt. Pepper’s 4 1/2-Inch Titans Vinyl Figures tem 5 figuras de vinil estilizadas, com 11,4 cm de altura, retratando os quatro membros da banda disfarçados: John in Disguise Titans,

Paul in Disguise Titans, George in Disguise Titans e Ringo in Disguise Titans, além do icônico tambor criado por Sir Peter Blake para o Sgt. Pepper.
Cada boneco do set The Beatles Sgt. Pepper’s 4 1/2-Inch Titans Vinyl Figures custa US$14,99 na pré-venda da Entertainment Earth, que aceita encomendas do Brasil.
Veja mais brinquedos dos Beatles e outras figuras de vinil TITANS aqui no Blog de Brinquedo.

O álbum Sgt.Pepper's Lonely Hearts Club Band completa 50 anos - Good Morning Good Morning

"Good Morning Good Morning" é uma canção escrita por John Lennon,(creditada a Lennon-McCartney). 
Inspiração  
A inspiração para a canção veio a Lennon a partir de um comercial de televisão da Kellogg Corn Flakes.A linha "It's time for tea and Meet the Wife" refere-se a uma comédia da BBC,Meet the Wife.
Gravação 
A faixa foi gravada em 8 de fevereiro de 1967, com overdubs em 16 de Fevereiro(baixo e vocais), 13 de Março (seção de metais), 28 de Março (backing vocals e solo de guitarra), e 29 de Março (sons de animais).A guitarra solo foi interpretada por PaulMcCartney.
A pedido de Lennon, George Martin trouxe Sounds Incorporated para gravar os metais. 

Lennon pediu ao engenheiro Geoff Emerick para organizar os sons de animais ouvidas no início (e fim) da canção de modo que cada animal ouvido capaz de devorar (ou assustadar) o animal que o precede.
O efeito sonoro final de um cacarejo de galinha foi colocado de maneira que ele se transforma em guitarra na faixa seguinte, "Sgt.. Banda Pepper Lonely Hearts Club(Reprise)". 
O comprimento da versão mono de "Good Morning Good Morning" é 2:35 ,enquanto que a versão estéreo (devido a um demorado fadeout do ruído animal) corre 2:41.
Ritmo incomum 
A canção tem uma sensação incomum rítmica e não usa o compasso no mesmo tempo.As Batidas são ouvidas em grupos de 2, 3 e 4, dando a impressão de que as mudanças de compasso com freqüência. A canção foi transcrito como uma mistura de 4/4, 3/4 e 5/4. A maior parte da música usa o tempo simples, onde as batidas são divididos em dois, mas as oito seções médias usam o tempo composto, onde as batidas são divididas em trios.

fonte: Wikipedia