domingo, 22 de outubro de 2017

Paul McCartney encerra turnê em Salvador com público de 53 mil pessoas

photo Arisson Marinho
Mais do que um show, uma experiência musical com Paul McCartney. A noite do dia 20 de outubro de 2017 ficará na memória das 53 mil pessoas que foram até a Arena Fonte Nova assistir à última apresentação da turnê no Brasil do eterno Beatle. Sob arrepios, gritos e lágrimas durante clássicos da banda dos quatro garotos de Liverpool, Salvador teve a honra de receber Paul McCartney com a turnê One on One pela primeira vez.
Apesar da pontualidade não ter sido britânica, os 15 minutos de atraso do show fizeram aumentar ainda mais a ansiedade do público que ocupava cada cadeira da arquibancada e a pista sob o gramado do estádio. Às 21h45, os telões posicionados nas laterais do palco anunciavam o início do show histórico. Em português, assim como fez por outras cidades brasileiras onde passou, Paul disse:"E aí, Salvador? Beleza? Finalmente eu vim para a Bahia".
 photo Arisson Marinho
Ao som de "A Hard Day's Night", canção que nunca havia sido tocada por Paul como artista solo, abriu o show sob milhares de luzes de celulares que iluminaram a Arena Fonte Nova. Com a delicadeza de um gentleman, Paul McCartney interagiu com o público, fez 'coraçãozinho' com as mãos, e ainda deu uma rebolada com uma 'ginga' bem britânica. Nem mesmo a chuva que caiu antes e durante o show aliviaram o calor que fez Paul tirar o blazer logo na segunda música.
A explosão de imagens projetadas no palco, como uma narrativa visual de cada canção tocada por Paul McCartney, foi um espetáculo à parte. Os olhares vidrados de jovens, adolescentes, crianças e a turma contemporânea aos anos 60 se misturavam aos beatlemaníacos que, juntos, experimentavam a genialidade do show de Paul, que, há mais de 15 anos tem Abe Laboriel Jr. (Bateria), Brian Ray (Guitarra e Baixo), Rusty Anderson (Guitarra) e Wix Wickens (Teclado) como parceiros.
 photo Arisson Marinho
Aos 75 anos, Paul tocou baixo, guitarra, piano e ukelele, instrumento que toca em homenagem ao parceiro George Harrison no momento de Something. Em Here Today, dedicada a John Lennon, fãs foram ao delírio. Sempre atencioso e afetivo, Paul interagiu a todo momento com o público em português. "Vocês são massa!", "Valeu, gente!", "Ave Maria", disse.
Ao voltar para as últimas músicas, Paul desfilou com a bandeira do Brasil e ainda colocou em evidência a bandeira da Inglaterra e a da causa LGBT. Ele ainda recebeu no palco uma jovem de Salvador que dançou com ele ao som de Birthday.

"Está na hora de ir embora. Obrigado a melhor equipe do mundo. Obrigado a minha banda que é massa. Obrigado a vocês", se despediu dos baianos, após pouco mais de duas horas e quarenta minutos de show. Para quem ficou, a esperança de ter novamente a chance ver o beatle na terra da música. "Bahia, até a próxima", profetizou.

Esse foi o set list:
1-A Hard Day's Night
2-Junior's Farm
3-Can't Buy Me Love
4-Jet
5-All My Loving
6-Let Me Roll It
7-I've Got a Feeling
8-My Valentine
9-Nineteen Hundred and Eighty-Five
10-Maybe I'm Amazed
11-We Can Work It Out
12-In Spite of All the Danger
13-You Won't See Me
14-Love Me Do
15-And I Love Her
16-Blackbird
17-Here Today
18-Queenie Eye
19-New
20-Lady Madonna
21-FourFiveSeconds
22-Eleanor Rigby
23-I Wanna Be Your Man
24-Being for the Benefit of Mr. Kite!
25-Something
26-A Day In The Life/Give Peace A Chance
27-Ob-La-Di, Ob-La-Da
28-Band on the Run
29-Back in the U.S.S.R.
30-Let It Be
31-Live and Let Die
32-Hey Jude
33-Yesterday
34-Sgt. Pepper's Lonely Hearts Club Band (Reprise)
35-Helter Skelter
36-Birthday
37-Golden Slumbers/Carry That Weight/The End 

È isso...não é um fim mas como disse em seu facebook com uma mensagem esperançosa " Final show in Brazil... for now.",próximo show será dia 28 de outubro no México

sábado, 21 de outubro de 2017

Paul McCartney já está na Bahia

Paul McCartney já está na Bahia e chegou dia 19 de outubro à noite.

Ele foi visto saindo do hotel Sheraton em Salvador rumo à Arena Fonte Nova onde fará uma passagem de som e o show mais à noite.

Colaboração: Beatle Ed o correspondente 24 horas do Canadá

Paul McCartney apoia campanha da PETA em prol de 150 cachorros

A PETA (People for the Ethical Treatment of Animals, em português “Pessoas pelo Tratamento Ético dos Animais”) é a maior organização de direitos dos animais no mundo, com mais de 6,5 milhões de membros e apoiadores.
Este mês, a organização ganhou um apoio de peso em uma de suas campanhas. O cantor Paul McCartney se juntou à PETA para ajudar cerca de 150 cachorros que estão sendo negligenciados por uma empresa nos Estados Unidos. 
De acordo com a PETA, um grupo de cães aposentados da raça Galgo, que eram utilizados em corridas, vem sendo maltratado no interior da The Pet Blood Bank, empresa fixada no Texas que distribui produtos sanguíneos caninos utilizados em transfusões veterinárias.
Os cães são utilizados pela empresa com fontes de sangue. A raça foi escolhida por apresentar com mais facilidade um tipo sanguíneo universal e funcionários do local chegam a retirar sangue dos cachorros várias vezes por mês.
Uma matéria feita em parceria com a PETA e publicada no The Washington Post apresentou detalhes de como os cães vivem no interior da empresa, em instalações inadequadas e espaços bem pequenos e descuidados. Além disso, fotografias feitas do local e dos animais por um ex-funcionário da The Pet Blood Bank mostram também que os cães estão desnutridos.
A PETA afirma ainda que muitos destes animais estão com diversos problemas de saúde por conta das condições em que vivem e da falta de cuidados.
No dia 10 de outubro, Paul McCartney escreveu uma carta para James Wiltz, CEO da Patterson Veterinary Supply, empresa que distribui os produtos do The Pet Blood Bank. A carta pede melhores cuidados para os cães e que eles sejam doados, para que finalmente possam ir para lares amorosos. A carta foi escrita e divulgada depois que a Patterson Veterinary Supply não cumpriu com sua promessa de que iria garantir que os cães receberiam melhores cuidados. 
“Prezado Sr. Wiltz,

Eu estou escrevendo para apelar para você intensificar, cumprir sua promessa anterior e resgatar os cães cujo sangue sua empresa tem usado há muitos anos, sabendo que esses 150 cães ou mais – que foram permitidos que chegassem a uma forma assustadora e que agora são mantidos em condições bem distantes do ideal, ajudaram seus negócios ao custo de seu bem-estar.
Tive cães desde que eu era um menino e amei todos eles, inclusive Martha, que foi minha companheira por cerca de 15 anos e sobre quem escrevi a música “Martha, My Dear”. Tenho certeza que você sabe que os cães precisam de carinho e uma cama confortável para repousar, calor no inverno, a oportunidade de correr e brincar, e assim como você e eu, eles desejam felicidade e companheirismo.
Eu me junto aos meus amigos da PETA para solicitar que você livre esses Galgos e que eles sejam afastados das condições áridas e enfadonhas em que são mantidos, isolados e sozinhos, alguns deles chorando com a aproximação da pessoa que vem tomar seu sangue por repetidas vezes. Eles tiveram uma vida difícil na pista de corrida, e eles vão morrer sem amor se forem deixados onde estão. Eu vi fotos de como eles sofreram com unhas que cresceram de volta para as almofadas das patas, bem como de gengivas infectadas e dentes apodrecidos, e me disseram que alguns aparentemente morreram por falta de água.
Pessoas boas, socorristas de Galgos profissionais, estão preparados para colocar esses cachorros em boas casas e transportá-los para essas casas, sem nenhum custo para ninguém. Faça o que é certo e ganhe o apoio de todos os veterinários gentis e todas as almas bondosas em todo o mundo.

Estou ansioso por notícias suas.

Atenciosamente,

Sir Paul McCartney”. 

fonte/source: Portal do dog ou PETA

quinta-feira, 19 de outubro de 2017

Paul McCartney encantou mais de 50 mil pessoas em Belo Horizonte

 
Uma aula rápida de português, logo depois da passagem de som, foi mais do que suficiente. "Ei BH! Boa noite, gente! Tudo bem?" Foi assim que Paul McCartney ganhou, de cara, as 51 mil pessoas que lotaram o Mineirão na noite desta terça-feira (17/10).
Na sua segunda passagem por Belo Horizonte, quatro anos e meio depois da estreia de Out There!, Paul McCartney voltou a encantar o público. O  show começou às 21h41, com um repertório que trouxe quatro mudanças significativas em relação à estreia de One on one no Brasil, na sexta passada (13/10), em Porto Alegre.
Save us, da carreira solo, entrou logo no início do show, no lugar de Junior's farm. Lettin' go, dos Wings, substituiu Jet; Drive my car, Got to get you into my life e I've just seen a face entrou no lugar de We can work it out.
foto Pedro Gontijo
A extensão do repertório – foram 39 músicas em BH – permite sets com diferentes momentos. O primeiro, a bordo do histórico baixo Hofner e, posteriormente, de uma guitarra Gibson, é mais voltado para o rock (Save us) e blues (Let me roll it).
Já quando ele vai para o piano, é a vez de canções mais pessoais. My Valentine é dedicada à "minha esposa Nancy, que está aqui hoje". Mas é o clássico Maybe, I'm amazed, que Paul anuncia ser a canção para Linda, que leva à uma grande comoção.
Até então nitidamente poupando a voz, ele faz uma interpretação densa, de uma música que exige bastante do aparelho vocal. O set a seguir, já com Paul ao violão, mistura velhas canções, num tom folk. O destaque vai para In spite of all the danger, canção dos Quarrymen (e a primeira gravação dos Beatles).
Das mais antigas ele chega às mais recentes, incluindo New e FourFiveSeconds, canção que gravou com Kanye West e Rihanna. Entre uma música e outra, uma graça aqui e ali, como uma rebolada em And I love her e a mineiríssima interjeição "sô".
foto Pedro Gontijo
Mas, como sempre (e poderia ser de outra maneira?), a sequência final foi matadora. A partir de Let it be (celulares acesos emulando as velas do telão), Paul foi arrebatando o público música a música.
Os fogos de Live and let die (que de tão altos e próximos o fizeram tapar os ouvidos no final) e o coral de milhares de "na na na na" em Hey Jude, cantados pelo público e expressos em cartazes que haviam sido distribuídos. Eram "moços"  "moças" nas palavras de Paul. 
Pausa para o bis e o retorno, agora empunhando as bandeiras do Brasil, do Reino Unido e do movimento LGBT. Yesterday, cantada do início ao fim pelo público, deu início ao bis. Helter Skelter, a mais pesada das músicas dos Beatles, deu sequência a Birthday.
foto Pedro Gontijo
"Está na hora de partir. Obrigado à melhor equipe do mundo. Obrigado à minha banda fantástica. E obrigado a vocês". E o final, como sempre, duas horas e 40 minutos depois, com Golden slumbers/Carry that weight/The end e ele dizendo "até a próxima!".
Chuva de papel picado verde e amarelo, lágrimas, sorrisos e abraços (e um animalzinho de pelúcia amarelo que alguém da plateia atirou ao palco e Paul carinhosamente recolheu)

E o lado chato do show foi a proibição sem explicação para as crianças no show já que não tem em jogos de futebol e muitas pessoas dos setores mais longe via twitter reclamaram do som e da falta de sincronia com o telão.
Esse foi o set list:
1-A Hard Day's Night
2-Save Us
3-Can't Buy Me Love
4-Letting Go
5-Drive My Car
6-Let Me Roll It
7-I've Got a Feeling
8-My Valentine
9-Nineteen Hundred and Eighty-Five
10-Maybe I'm Amazed
11-I've Just Seen A Face
12-In Spite of All the Danger
13-You Won't See Me
14-Love Me Do
15-And I Love Her
16-Blackbird
17-Here Today
18-Queenie Eye
19-New
20-Lady Madonna
21-FourFiveSeconds
22-Eleanor Rigby
23-I Wanna Be Your Man
24-Being for the Benefit of Mr. Kite!
25-Something
26-A Day In The Life/Give Peace A Chance
27-Ob-La-Di, Ob-La-Da
28-Band on the Run
29-Back in the U.S.S.R.
30-Let It Be
31-Live and Let Die
32-Hey Jude
33-Yesterday
34-Sgt. Pepper's Lonely Hearts Club Band (Reprise)
35-Helter Skelter
36-Birthday
37-Golden Slumbers/Carry That Weight/The End

Próximo show será dia 20 de outubro na Bahia....

Colaboração: Cristiano Radtke

fonte: UAI

Há 60 anos,Paul McCartney estreava no Quarrymen

Depois de conhecer o jovem John Lennon depois de um show em um evento anual Woolton Parish Church Garden Fete em 06 de julho de 1957,2 semanas depois John convidou o jovem Paul McCartney a entrar para a banda The Quarrymem.
E o promotor de Liverpool Charlie 'Mac' McBain realizava eventos regulares de skiffle e rock em seus locais,numa sexta-feira, 18 de outubro de 1957, ele executou um desses eventos, no New Clubmoor Hall em Norris Green, Liverpool. Foi o primeiro show em que Paul McCartney apareceu no palco com os Quarrymen.
McCartney tocou guitarra principal. Os nervos da primeira noite, no entanto, fizeram com que ele fizesse um solo "picado" durante a versão do Quarrymen do hit instrumental de Arthur Smith de 1946, Guitar Boogie.
"Para o meu primeiro show, me deram um solo de guitarra na música Guitar Boogie. Eu toquei com facilidade no ensaio, então exigi que eu deveria fazer isso como meu solo. As coisas estavam indo bem, mas quando o momento veio na performance e meus dedos pegajosos; Eu pensei: 'O que estou fazendo aqui?' Eu estava com muito medo; Foi um grande momento com todos os que olhavam para o guitarrista. Eu não poderia fazê-lo. É por isso que George foi convidado a entrar no grupo." disse Paul McCartney no Anthology
A estreia de McCartney com o Quarrymen foi uma ocasião significativa no desenvolvimento do grupo. Para o promotor, no entanto, ele teve pouca impressão deles. O veredicto registrado de Charlie Mac no grupo foi um "Good & Bad" rabiscado no cartão de visita do Quarrymen.

quarta-feira, 18 de outubro de 2017

Paul McCartney chega a Belo Horizonte

 
(foto: Leandro Couri/EM/D.A.Press)
Paul McCartney desembarcou às 15h55 desta terça-feira, 17 de outubro, em Belo Horizonte, no Aeroporto da Pampulha, vindo num jato particular de São Paulo, onde se apresentou no último domingo, 15. O ex-Bleatle foi direto para o Mineirão, escoltado por seguranças e pela Polícia Militar.
No aeroporto, Paul acenou para os fãs que o aguardavam, entre eles o engenheiro Leonardo Mendes, de 40 anos, e o estudante de direito, Allan de Menezes, de 21 anos, vieram do Rio de Janeiro para tentar um autógrafo do ídolo. Eles estão hospedados no Ouro Minas, onde a equipe de Paul vai se hospedar.
 
(foto: Leandro Couri/EM/D.A.Press)
A capital paulista foi a segunda a receber o ex-Beatle durante sua passagem pelo Brasil com a turnê One on one. Por lá, ele realizou um show de três horas no Allianz Parque para um público de 45,5 mil pessoas, segundo a organização.
 
(foto: Leandro Couri/EM/D.A.Press)
Antes disso, na última sexta-feira, 13, Paul fez a alegria dos fãs gaúchos em Porto Alegre e se apresentou para um Beira-Rio lotado (49,5 mil pessoas). No alto de seus 75 anos, o britânico não fugiu da fórmula que aprimorou desde que voltou a fazer turnês, em 1989.
Apesar disso, a escolha das músicas não deixou a desejar. Das 39 tocadas, 26 são dos Beatles (e 24 fizeram parte da última vez que ele tocou em BH, em 2013). O que se verá no palco do Mineirão nesta noite, a partir das 21h30, portanto, é uma viagem pelas seis décadas de carreira de Sir James Paul McCartney.
foto Juninho Arantes
Às 16h15 ele subiu ao palco e disse: "Bom dia. Tudo bem?". Em seguida, ele ajeitou a camisa de manga comprida e começou a tocar. A peimeira música foi Honey don't, depois Paul trocou a guitarra pelo baixo e emendou Coming up, All My Loving. No piano, ele tocou e cantou C Moon.
Um show particular pra cerca de 80 pessoas. Além dos 10 ganhadores do concurso "Desperte seu lado Paul do Rock", promovido pelo Estado de Minas e Portal Uai, uma turma de convidados, entre alunos e professores da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG),  assistem a passagem de som

fontes: UAI 1 e UAI 2

Entrevista de Paul McCartney para o México

Paul McCartney é um dos ícones mais importantes da música hoje e no próximo dia 28 de outubro visitará a Cidade do México como parte de sua turnê "One on one".
Em uma entrevista, o cantor britânico disse que o show a ser visto no próximo mês no Estadio Azteca será um mistério.
Além disso, McCartney colaborou com a banda "Foo Fighters" onde tocou bateria.
"(Dave Grohl, vocalista de Foo Fighters) um dia me enviou uma mensagem dizendo" nós temos uma idéia louca, Dave vai fazer um single para o novo álbum e gostaríamos que você tocasse a bateria ". Eu disse a ele que estava louco, mas eu ainda queria , então eu fiz e foi muito divertido. Gostaram do que fazemos. Foi muito divertido tocar com eles e particularmente a bateria, algo novo ". Paul McCartney, cantor 
Quando questionado sobre o atual governo mundial e especificamente sobre Donald Trump, ele respondeu o seguinte:
"Eu gostaria de ver uma liderança mais nobre e sensível, acho que muitas pessoas concordam com muitas de suas políticas; mas acho que não é muito estável, isso não é muito nobre ". Paul McCartney, cantor

Finalmente, o cantor mencionou que é muito difícil escolher uma música ou um álbum favorito.
"É muito difícil, ealmente não tenho um favorito, eu amo todos. Se eu tivesse favoritos eu mudaria semana após semana. Uma semana eu prefiro isso, então eu escuto outra música e eu digo que eu prefiro essa. Sinto-me muito orgulhoso de ter muitas músicas boas e que as pessoas ainda estão interessadas nelas ". Paul McCartney, cantor

fonte: UNO TV

Ringo Starr fala sobre morte de Tom Petty em entrevista

Foi divulgada, neste sábado (14), uma entrevista que Ringo Starr concedeu à Billboard falando sobre o falecimento de seu grande amigo Tom Petty.
“Foi um choque. Quando você ouve isso pela primeira vez, é tipo, ‘O que…?!’. Como quando eu soube que Elvis estava morto; É tipo, ‘O que?!’ Isso tem que ser mentira. Isso foi muito triste. É, realmente, tudo o que eu consigo dizer. Deus abençoe ele e sua família”.
Além disso, Ringo ainda comentou sobre sua relação com Tom: “Eu vou sentir falta do Tom. Tom era um bom amigo. Eu toquei com ele, ele tocou comigo. Eu pude conhecê-lo ao longo dos anos, realmente pude conhecê-lo quando ele estava no Wilburys por conta do George Harrison. Ao longo da minha carreira, nós perdemos realmente ótimos amigos e pessoas que não são meus amigos, mas que eram ótimos músicos e escritores. No nosso ramo nós já perdemos eles muito jovens também. Mas, acima de tudo, ainda há muitos de nós por aí fazendo o que fazemos”.
Tom Petty faleceu no dia 02 de outubro, aos 66 anos de idade, por conta de um ataque cardíaco.

fonte/source: Nação da Música ou Billboard

segunda-feira, 16 de outubro de 2017

Paul McCartney presenteou fãs em São Paulo com clássicos e gírias em português

(Gustavo Luizon/VEJA.com)
“Está bombando, que balada”, disse Paul McCartney, em bom português, próximo ao fim do show em São Paulo, na noite deste domingo. A frase foi uma das muitas ditas por ele no nosso idioma que arrancou gargalhadas da plateia, entre termos como “manos e minas” e uma leve dificuldade em pronunciar “recente”. A palavra veio antes de anunciar a canção FourFiveSeconds, parceria com Rihanna e Kanye West, entoada por ele com bom humor – com direito a uma leve imitação do tom de voz do rapper. Aliás, a música foi um termômetro que denunciou o maduro público presente. Poucos entoaram juntos a faixa conhecida pelos fãs da cantora pop. Enquanto os hits antigos foram gritados a plenos pulmões.
 (Gustavo Luizon/VEJA.com)
“Vamos voltar no tempo”, avisou McCartney (também em português) antes de In Spite of All the Anger, de sua primeira banda com John Lennon, The Quarrymen. O clima retrô reinou em mais da metade da apresentação.
A começar pela abertura, que emendou composições da época dos Beatles e do Wings, com a sequência A Hard Day’s Night, Junior’s Farm, Can’t Buy Me Love, Jet, Drive My Car, Let Me Roll It e I’ve Got a Feeling.
 (Gustavo Luizon/VEJA.com)
O clima foi quebrado quando ele assumiu o piano para tocar a bela My Valentine. “Escrevi essa música para minha querida esposa Nancy, que está aqui hoje”, disse, lendo o texto em português.
Outra teia enérgica veio com os hits Love Me Do, And I Love Her com direito a uma "reboladinha" de Paul e Blackbird, assim como a tríade infalível próxima do bis, formada por Let It Be, Live and Let Die e Hey Jude onde Paul mostrou como aprendeu a usar algumas expressões locais quando no coro do final da música Paul falava "Agora os manos" ou "Agora as minas".Músicas que ajudaram a poupar a já rouca voz do cantor, que penou em alguns momentos, mas foi compensada por sua energia e carisma no palco.
 (Gustavo Luizon/VEJA.com)
Entre uma canção e outra, McCartney celebrou os ex-colegas do quarteto de Liverpool e homenageou Jimy Hendrix . Para o bis, o britânico entoou quase sem pausas as também clássicas Yesterday, Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band, Helter Skelter, Birthday, Golden Slumbers, Carry That Weight e The End.

Paul agora segue para Belo Horizonte, onde se apresenta no dia 17, terça-feira, e para Salvador, com um show na sexta, dia 20.
Esse foi o set list:
1-A Hard Day's Night
2-Junior's Farm
3-Can't Buy Me Love
4-Jet
5-Drive My Car
6-Let Me Roll It
7-I've Got a Feeling
8-My Valentine
9-Nineteen Hundred and Eighty-Five
10-Maybe I'm Amazed
11-We Can Work It Out
12-In Spite of All the Danger
13-You Won't See Me
14-Love Me Do
15-And I Love Her
16-Blackbird
17-Here Today
18-Queenie Eye
19-New
20-Lady Madonna
21-FourFiveSeconds
22-Eleanor Rigby
23-I Wanna Be Your Man
24-Being for the Benefit of Mr. Kite!
25-Something
26-A Day In The Life/Give Peace A Chance
27-Ob-La-Di, Ob-La-Da
28-Band on the Run
29-Back in the U.S.S.R.
30-Let It Be
31-Live and Let Die
32-Hey Jude
33-Yesterday
34-Sgt. Pepper's Lonely Hearts Club Band (Reprise)
35-Helter Skelter
36-Birthday
37-Golden Slumbers/Carry That Weight/The End

Próximo show será dia 17 de outubro em Belo Horizonte....

Colaboração: Beatle Ed o correspondente 24 horas do Canadá

fonte: Veja

Os Beatles ainda faturam £ 67,000 por dia quase 50 anos depois da separação

Os Beatles ainda arrecadam £ 67.000 por dia com uma empresa,quando eles criaram antes que ese separassem, há quase 50 anos,e isso nem inclui seus royalties)
A Apple Corps, criada em 1968 para administrar seus assuntos, declarou um volume de negócios de £ 24,4 milhões no ano encerrado em 31 de janeiro.
É de propriedade dos Beatles sobreviventes, Paul McCartney e Ringo Starr, bem como das viúvas de George Harrison e John Lennon Olivia e Yoko Ono.
As contas mostram que cada uma pagou 2,99 milhões de libras esterlinas em "taxas agregadas por serviços promocionais, nome e semelhança".
O lucro antes dos impostos subiu para £ 5,7 milhões - £ 3,9 milhões em 2016.
A empresa - que nem sequer possui o catálogo de músicas dos Beatles - produziu 10 milhões de libras esterlinas do documentário de 2016 The Beatles: Eight Days a Week - The Touring Years. Ele já superou o video game The Beatles: Rock Band.
A Apple Corps - que teve uma longa disputa sobre o nome com os computadores da Apple informou que tinham £ 16,9 milhões em dinheiro. Mas Paul McCartney, de 75 anos, pensa que valeria £ 780 milhões sozinho. A banda se separou em 1970.
Em janeiro, a Macca arquivou um processo dos EUA contra a Sony / ATV para tentar recuperar a propriedade das músicas dos Beatles. Michael Jackson os havia comprado em 1985 por US $ 47 milhões, vendendo metade para Sony 10 anos depois por US $ 100 milhões.

source: Mirror UK

domingo, 15 de outubro de 2017

Paul McCartney agradece batedores da BM em 'moto imaginária' em Porto Alegre

Um pouco antes de subir ao palco do Beira-Rio, em Porto Alegre, para o show que abriu a passagem da turnê One on One pelo Brasil, Paul McCartney agradeceu e brincou com os policiais que atuaram como batedores pela cidade. A imagem foi registrada no começo da noite de sexta-feira (13).
"Antes do show ele cumprimentou os policiais, agradeceu, elogiou o serviço, 'amazing' (maravilhoso), e brincou. Ele parou em frente aos policiais e fez como se estivesse pilotando uma moto, com os braços esticados, como em uma moto imaginária", relata o comandante do Batalhão de Operações Especiais (BOE) da Brigada Militar, major Claudio Feoli.
Ele conta que os policiais se sentiram muito lisonjeados pelo ato que partiu do próprio artista. "O interessante é que ele pediu para tirar a foto e fez a brincadeira, uma cultura muito diferente da nossa", conta o major.

Paul deixou o hotel por volta das 17h de sexta, e após o show de aproximadamente três horas de duração foi direto para o aeroporto.
Nesta segunda apresentação em Porto Alegre, a primeira foi há sete anos, Paul disse: "é bom estar de volta", e ainda arriscou uma expressão tipicamente gaúcha no palco: "tri bom".
McCartney deu início ao show às 21h04, para a expectativa dos 49,5 mil fãs que lotaram o Estádio Beira-Rio.

fonte: G1/Globo

Paul McCartney encanta Porto Alegre em uma grande noite

"É bom estar de volta", saudou sPaul McCartney, em bom português, depois de desfiar as três primeiras canções do show desta sexta-feira (13) histórica no Estádio Beira-Rio. O aguaceiro que desabou sobre os Rolling Stones em 2016 repetiu-se antes da segunda apresentação do músico britânico em Porto Alegre, mas deu uma trégua durante a maior parte do espetáculo. Da chegada na Capital, na quarta-feira (11), à noite de sexta, o ex-beatle, de 75 anos, aguardou sob chuvas e trovoadas — sem perder o bom humor — o instante de subir outra vez ao palco do Beira-Rio. Os fãs, por sua vez, também demonstraram resistência e empolgação, apesar do mau tempo e da lentidão das filas de acesso ao estádio. Quando o show começou, às 21h05min, muita gente ainda estava entrando no Beira-Rio.
Antes de cantar a poderosa I've Gotta a Feeling, famosa por sua versão ao vivo no telhado da gravadora Apple, Paul voltou a falar português para agradecer aos fãs de todas as idades que lotavam o estádio: "Obrigado, gaúchos e gaúchas". (No meio do show, soltou ainda um "tribom", em bom gauchês, para delírio da plateia.) Como introdução para Blackbird, canção composta sob inspiração dos conflitos raciais dos anos 60, Paul contou que a música era sobre direitos humanos e observou: "Nós precisamos disso, certo?".
No final do espetáculo, antes do bis, outro momento político: Paul voltou para o palco com as bandeiras da Grã-Bretanha, do Brasil e do movimento LGBT.
Nenhum outro artista no mundo sobe ao palco com um histórico desses para compartilhar com fãs de gerações tão diferentes. Paul tem capacidade de, ao mesmo tempo, honrar o glorioso passado e mostrar que seu presente e futuro são de plena atividade criativa. Faz três horas de show passarem num estalar de dedos e ainda deixa a impressão de que faltou muito mais para celebrar.
Parafraseando, em tom otimista, o triste lamento do replicante Roy no final do filme Blade Runner: todos esses momentos diante de Paul McCartney um dia se perderão no tempo, como as lágrimas na chuva. Que ocorram ainda mais encontros com esse artista gigante enquanto estivermos todos vivos. Bom sinal: Paul encerrou o show, às 23h50min, com um “Até a próxima”.
Destaque do show foi quando Paul chamou umas meninas que estavam fantasiadas com roupas do Sgt Pepper,e uma delas era a Celeste Juchem.A certeza só veio quando o chefe de segurança de Paul,figura já conhecida desse grupo de fãs mais dedicado — entregou o setlist para um dos membros do staff que estava próximo das meninas e sinalizou que, após determinada música, elas deveriam subir ao palco. Foi assim que Celeste e as amigas acabaram acompanhando a performance de Helter Skelter direto dos bastidores. 
Esse foi o set list:
1-A Hard Day's Night
2-Junior's Farm
3-Can't Buy Me Love
4-Jet
5-Got to Get You Into My Life
6-Let Me Roll It
7-I've Got a Feeling
8-My Valentine
9-Nineteen Hundred and Eighty-Five
10-Maybe I'm Amazed
11-We Can Work It Out
12-In Spite of All the Danger
13-You Won't See Me
14-Love Me Do
15-And I Love Her
16-Blackbird
17-Here Today
18-Queenie Eye
19-New
20-Lady Madonna
21-FourFiveSeconds
22-Eleanor Rigby
23-I Wanna Be Your Man
24-Being for the Benefit of Mr. Kite!
25-Something
26-A Day In The Life/Give Peace A Chance
27-Ob-La-Di, Ob-La-Da
28-Band on the Run
29-Back in the U.S.S.R.
30-Let It Be
31-Live and Let Die
32-Hey Jude
33-Yesterday
34-Sgt. Pepper's Lonely Hearts Club Band (Reprise)
35-Helter Skelter
36-Birthday
37-Golden Slumbers/Carry That Weight/The End

Próximo show será dia 15 de outubro em São Paulo....

Ringo Starr abriu a turnê em Las Vegas


Ringo Starr abriu ontem à noite em Las Vegas a sua turnê americana no Planet Hollywood Resort & Casino.
Na quinta,um representante do Planet Hollywood Resort & Casino, Ringo Starr e sua esposa, Barbara Starkey, através da Fundação Lotus, juntamente com o presidente e CEO da Caesars Entertainment, Mark Frissora, doaram US $ 100.000 para o Vegas Strong Fund da Nevada Resort Association. Isso faz parte da contribuição total do Caesars Entertainment de US $ 2 milhões para apoiar as vítimas da tragédia de Las Vegas e suas famílias.
Ringo se apresentará no mesmo local mas 7 shows,dias 14-17-20-21-24-27 e 28 de outubro e sua turê irá percorrer os EUA até dia 16 de novembro.

Colaboração: Beatle Ed o correspondente 24 horas do Canadá

source: PR Newswire

sábado, 14 de outubro de 2017

Paul McCartney deixa hotel para passagem de som no Beira-Rio em Porto Alegre

Paul McCartney deixou o hotel Sheraton por volta das 16h desta sexta-feira (13) para a passagem de som no Beira-Rio, em Porto Alegre.Dezenas de fãs o aguardavam do lado de fora do hotel, que chamaram por seu nome. O cantor retribui sorrindo e abanando para o público.
Em sua conta no instagram, o cantor colocou um vídeo com a seguinte frase: "Vejo você hoje à noite, Porto Alegre."
Nas última apresentações, Paul tem tocado mais de 30 canções, desde sua primeira banda com John Lennon e George Harrison, The Quarrymen, até a parceria com Kanye West e Rihanna.
 (Foto: Renato Soder/RBS TV)
O disco dos Beatles "Sgt. Pepper's Lonely Hearts Club Band", que completa 50 anos em 2017 e é considerado um dos importantes da história da música pop, deve ter destaque nas apresentações. Com isso, o show deve durar cerca de três horas.

A turnê "One On One" começou em abril de 2016 e já passou por Estados Unidos, Canadá, diversos países da Europa e Japão, antes de chegar à América Latina. No Brasil, o eterno fará apresentações em São Paulo, Belo Horizonte e Salvador.
(Foto: Paulo Ledur/RBS TV)
Ainda estão marcados shows na Austrália e Nova Zelândia, onde a série de shows deve se encerrar, em dezembro de 2017. Está sendo uma das turnês mais lucrativas do mundo.
Esta é a segunda vez que o ex-Beatle se apresenta em Porto Alegre. Em novembro de 2010, Paul esteve na capital com o show "Up & comming".

fonte: G1/Globo

quinta-feira, 12 de outubro de 2017

Paul McCartney já está em Porto Alegre para o show de sexta-feira


Paul McCartney já está em Porto Alegre. O músico se apresenta no próximo dia 13, sexta-feira, no show que iniciará a One on One Tour no Brasil, em Porto Alegre, no Estádio Beira-Rio. A Infraero confirmou a aterrissagem do avião particular que trouxe McCartney na pista do Aeroporto Salgado Filho às 11h14.
Por volta do meio-dia, Paul chegou ao hotel Sheraton onde ficará hospedado, no bairro Moinhos de Vento. Os fãs Lucio Brancato e Nelson Graf estavam na frente do local e presenciaram a chegada do comboio com três carros. Nelson gravou um vídeo do momento exato em que os carros chegaram.
"O Paul estava no segundo [veículo] e acenou para mim", revela. Brancato carregava uma de suas edições do disco Sgt Peppers Lonely Hearts Club Band, que completa 50 anos de lançamento em 2017.
O show de Paul McCartney em Porto Alegre será o primeiro da One on One Tour. A abertura dos portões será às 17h30 e o show está marcado para às 21h. Ainda estão disponíveis ingressos de pista premium. A abertura será do gaúcho Frank Jorge. Após Porto Alegre, o ex-beatle passa por São Paulo, Belo Horizonte e Salvador.
(Foto: Eduardo Deconto/G1 RS)
A menos de dois dias do show, o Estádio Beira Rio já está com os preparativos para receber Paul McCartney a todo vapor.

Colaborações: Claudia Tapety a fã nº 1 de Paul McCartney e Beatle Ed o correspondente 24 horas do Canadá

fonte: G1/Globo

terça-feira, 10 de outubro de 2017

Paul McCartney enviou mensagem de apoio ao México depois do terremoto

Paul McCartney enviou seu amor e apoio aos mexicanos, após terremotos no país nos dias 7 e 19 de setembro.
Com uma mensagem nas redes sociais, o ex-Beatle disse que, após esses "tempos difíceis já se passaram", ele espera chegar ao país no dia 28 de outubro, quando seu show acontecerá no Estadio Azteca.
Esta é toda a mensagem:
"Olá, meus amigos mexicanos. Sou eu Paul McCartney desejando-lhes o melhor e enviando-lhes o meu amor e apoio após estes tempos muito difíceis para aqueles que passaram recentemente.
Espero entrar pessoalmente no México em 28 de outubro. Adoro o México e seu povo. 
Vejos em breve com amor Paul"

fonte: Milenio

domingo, 8 de outubro de 2017

O single P.S. I Love You dos Beatles

"P.S. I Love You" é uma canção composta principalmente por Paul McCartney (creditada a Lennon-McCartney) e gravada pelo os Beatles. Ela foi lançada em 5 de Outubro de 1962, como o lado B de seu primeiro single "Love Me Do" e também está incluído no seu álbum de 1963 Please Please Me. Mais tarde, foi incluída na compilação dos Beatles Love Songs. 
Gravação 
A versão que aparece no single e no álbum foi gravada em 10 e 11 de Setembro de 1962, no Abbey Road Studios, em Londres.O produtor George Martin tinha reservado a sessão para o baterista Andy White como um substituto para Pete Best, que ele considerava tecnicamente não bom o suficiente para fins de gravações (Martin não sabia que Pete Best tinha sido demitido e substituído por Ringo Starr, que toca maracas na canção).Andy White era um músico freelance e baterista para sessões, e deu a gravação  leve toque de cha cha. 
George Martin não estava presente na sessão, que foi dirigida por Ron Richards em sua ausência. Richards disse ao grupo que a música não poderia ser o lado A do single por causa de uma canção anterior do mesmo título: "Eu era originalmente um homem de edição de música,então eu sabia que alguém tinha feito uma gravação com o título .Eu disse a Paul 'Você pode tê-la como lado-B, mas não o lado A' "(apesar de outros títulos terem sido utilizados para várias canções de sucesso sem dificuldades legais). 
Os Beatles (com Ringo tocando bateria) também gravou esta canção na BBC em 25 de outubro de 1962, 27 novembro de 1962, e 17 de Junho de 1963 para transmissão posterior sobre os programas da rádio BBC Here We Go, Talent Spot, and Pop Go The Beatles, respectivamente.
Inspiração 
Escrita em 1961, enquanto que Paul McCartney estava em Hamburgo, essa música é às vezes considerada uma dedicação à sua então namorada Dot Rhone.No entanto, McCartney nega isso;. Ele descreveu "PS I Love You" como 
"Uma canção tema com base em uma carta ... Era muito bonito. Eu não acho que John tinha feito algo.Existem certos temas que são mais fáceis do que outros para fazer uma canção sobre, e uma carta é uma delas ... Não é baseado na realidade, nem eu escrevei para a minha namorada, de Hamburgo, que algumas pessoas pensam."
 John Lennon disse sobre esta canção: 
"Esso é uma música de Paul.Ele estava tentando escrever um "Soldier Boy", como The Shirelles. Ele escreveu que, na Alemanha, ou quando estávamos indo e vindo de Hamburgo. Eu poderia ter contribuído com algo. Não me lembro de nada em particular. Foi, principalmente, sua canção."("Soldier Boy" foi um single nº 1 nos EUA para The Shirelles, em 1962.) 
Fita master desaparecida 
Não existe as fitas master originais da versão de 11 de setembro da "PS I Love You".O procedimento padrão no Abbey Road Studios na época era para apagar a fita da sessão original de duas vias para os singles uma vez que tinha sido "mixada" para a fita master (geralmente mono) usada para pressionar discos.Este foi o destino de dois singles dos Beatles (quatro músicas): "Love Me Do", "PS I Love You", "She Loves You", e "I'll Get You".

source: Wikipedia